Em Chapadinha, educação na zona rural é primitiva

Por Luís Pablo Política
 

Ao contrário do resto do mundo, o município de Chapadinha ainda vive como na época das cavernas.

A péssima administração da prefeita, Danúbia Carneiro, vem prejudicando a todos, principalmente aos alunos da zona rural, que vivem um verdadeiro descaso na educação.

O que deveria ser escolas, é, na verdade, barracões sem paredes ao meio do tempo, sem o mínimo de estrutura para o ensino.

As crianças estudam em condições sub-humanas, e a oportunidade daqueles que representam o futuro do país está morrendo no meio do nada.

Mas isso é apenas uma pequena realidade da educação em Chapadinha. Porque em outros setores do munícipio a precariedade é bem pior.

As fotos foram tiradas nos povoados de Saco, Tabuleiro e Soliedade.

Vejam abaixo a consequência de um voto errado:

Município de Chapadinha

Pindaré Mirim-MA aumenta o número de habitantes, mas o município não progride

Por Luís Pablo Política
 

O município de Pindaré Mirim-MA virou um verdadeiro caos, e não é por falta de dinheiro. Em 2004 a população segundo o IBGE, era de 28.030 habitantes e hoje é cerca 31.800 habitantes, ocorre que os recursos financeiros do município no período de 01/01/2004 a 21/02/2004; (FPM, FUNDEF, FEP, ICMS e OUTROS) foi na ordem de 1.033.668,70 ( hum milhão trinta e três mil, seiscentos e sessenta e oito reais e setenta centavos) e só o FUNDEF foi 432.581,07 ( quatrocentos e trinta e dois mil, quinhentos e oitenta e um reais e sete centavos) e no período de 01/01/2011 a 21/02/2011; os recursos foram na ordem de: 7.199.591,00(sete milhões, cento e noventa e nove mil, quinhentos e noventa e um reais), e o FUNDEB foi 5.175.562,40 ( cinco milhões, cento e setenta e cinco mil, quinhentos e noventa e um reais e quarenta centavos).

Então não precisa ser matemático pra ver que houve um incremento na ordem 700%, no dinheiro repassado pelo governo e a população cresceu 14%. Ocorre que a saúde, a educação, a limpeza pública, a merenda escolar e transporte de alunos e os serviços públicos em geral pioraram e muito no município de Pindaré Mirim.

Basta ver que o FUNDEB cresceu no período de sete anos cerca de 1.260% e população apenas 14%. Se isso não for fraude eu não sei o que é?

Portanto esses esclarecimentos precisam ser repassados para o Maranhão, e todos esses dados estão no portal do Banco do Brasil e no IBGE.

Veja o que um leitor respondeu sobre o assunto:

E isso é apenas um décimo do que tem acontecido aqui na nossa cidade, felizmente chegou um promotor de vergonha e está tomando providências, espero que não inventem uma promoção para tira-lo daqui, pois é assim que o prefeito Henrique Salgado sempre age, pois ele bate no peito que ninguém pode com ele, pois tem costas quentes no judiciário e no governo, vou esperar pra ver!

Vaza obituário preparado pela Rádio Senado para eventual morte de Sarney

Por Luís Pablo Política
 

José Sarney

Por Eduardo Bresciani

Com 81 anos, José Sarney (PMDB-AP) disse fazer um “sacrifício” no ínicio do mês ao assumir pela quarta vez o comando da Casa. Com a saúde debilitada, ele ficou metade do mês de outubro de 2010 internado em hospitais do Maranhão e de São Paulo após sofrer uma arritmia cardíaca. Na Casa, porém, parece haver setores preparados para um eventual falecimento do presidente. A Rádio Senado, inclusive, já tem pronto um obituário para colocar no ar caso o fato venha a acontecer.

O Radar Político teve acesso a uma gravação de 21 minutos com o título “Reportagem especial em homenagem ao senador José Sarney”, produzida pela equipe da rádio oficial da Casa. A Secretaria Especial de Comunicação do Senado negou que a Rádio tenha um obituário pronto e afirmou que há apenas uma “biografia” de Sarney, como haveria de todos os outros 80 senadores.

Ouça o programa na íntegra aqui.

A Secretaria, porém, não soube explicar por que os verbos do material obtido pelo Radar Político estão todos no pretérito. “Além de uma extensa vida política, Sarney se destacou nas artes. Ele era membro da Academia Brasileira de Letras desde 1980″, diz um trecho. A justificativa oficial é que pode ter havido “erro verbal”.

O material mistura entrevistas e discursos de Sarney com falas de outras personalidades políticas, como Tancredo Neves, já falecido. A gravação começa com a afirmação de que “o ponto mais alto da carreira de Sarney foi a Presidência da República”, mas antes destaca a trajetória do maranhense até chegar a este posto.

Em trecho de entrevista, Sarney afirma que o regime militar aconteceu por que “todo o país sentia que estava à beira de uma desordem coletiva”. Seu papel no regime ocupa a primeira parte do obituário, com destaque para sua primeira reeleição para o Senado em 1978. O narrador destaca que ele teve “o maior percentual de votos naquela eleição em todo o país”.

O período de Sarney na presidência da República é destacado, principalmente, com a convocação da Assembleia Constituinte. A reportagem lembra também da hiperinflação. “O lado ruim do governo Sarney foi a grave crise econômica que atingiu o pais”, diz o narrador, que lista todos os planos econômicos fracassados daquela época.

A matéria destaca que na primeira vez que presidiu o Senado, entre1995 e 1997, Sarney criou o sistema de comunicação da Casa e menciona que um plano estratégico feito em 2010 decidiu pela ampliação.

A crise do Senado, que explodiu na terceira administração do peemedebista a frente da Casa, também é lembrada na reportagem. A gravação coloca como problemas administrativos o excesso de diretores, o pagamento de horas extras no recesso e os atos secretos. O enfoque, porém, é de destacar “40 medidas” que foram tomadas pela administração Sarney para melhorar a estrutura da Casa e que Sarney foi absolvido pelo Conselho de Ética das acusações feitas contra ele. O tema é encerrado com uma afirmação dele do fim de 2009 dando a crise por encerrada. Não há qualquer menção à reforma administrativa prometida por ele e que até hoje não foi aprovada.

O material fala ainda da defesa de Sarney do Mercosul, de suas atividades literárias e de suas colaborações com veículos de imprensa. Todos os termos são usados no pretérito, apesar de ele ainda executar algumas dessas atividades.

Júnior Marreca toma posse hoje na Famem pregando o entendimento

Por Luís Pablo Política
 

Pregando a unidade e o entendimento com vistas ao fortalecimento do municipalismo, o prefeito Júnior Marreca (PR), da cidade de Itapecuru-Mirim toma posse nesta terça-feira, para Presidência da Federação dos Municípios do Estado do Maranhão – Famem. A solenidade acontecerá às 8 horas da manhã, na sede da entidade, no Calhau.

Júnior Marreca foi aclamado para o cargo no último dia primeiro, depois que o prefeito de São João dos Patos, Zé Mário (PMDB), renunciou a sua candidatura e anunciou o próprio voto no presidente eleito.

Marreca garantiu que sua vitória selou a unificação na entidade, enfatizando que, daqui pra frente, ele, seu vice, o prefeito Gil Cutrim, da cidade de São José de Ribamar e toda a diretoria irão arregaçar as mangas para colocaram em práticas as propostas de campanha.

Segundo Marreca, sua gestão será marcada pela descentralização de poder e o fortalecimento dos consórcios municipais. Disse que vai pedir apoio dos governos da União e do Estado, com vistas à construção de uma sede própria para a entidade.

“Não se pode conceber, uma entidade com a força e a postura da Famem não dispor de uma sede própria.

Isso é um problema que nós iremos tentar solucionar dentro do mais breve espaço de tempo possível”, salientou Júnior Marreca.

Até quando irá durar essa união?

Por Luís Pablo Política
 

Blog do Marcelo Vieira

A reeleição do vereador Ivaldo Rodrigues(PDT) não será fácil como se imaginava até pouco tempo.

São fortes os rumores de que o secretário de Agricultura, Abastecimento e Pesca de São Luís, Júlio França, será candidato a vereador em 2012.

Em 2008, Julio França (também do PDT) era o presidente municipal da legenda e foi o principal articulador e responsável pela eleição de Ivaldo Rodrigues.

O prefeito João Castelo(PSDB) tem simpatia pelo secretário e pode até apoiar sua candidatura, caso consiga viabilizá-la.

A situação do vereador é delicada.

Se França sair candidato, mesmo que não consiga se eleger poderá tirar a vaga de Ivaldo, que terá suas bases dividas, uma vez que boa parte delas pertencem ao secretário Júlio França.

Até hoje os dois continuam bem próximos. Resta saber até quando?

Eles devem negar que exista tal possibilidade, mas até lá, muita água ainda vai rolar.

Portanto, vamos aguardar os acontecimentos !!

Nota 10 fornece combustível de Chapadinha para o filho em São Luis

Por Luís Pablo Política
 

Conhecido como mão de vaca, o deputado estadual Magno Bacelar (PV) abre tudo somente para a família. Um exemplo: fornece galões de combustível de um posto de Chapadinha para São Luis.

E mais: detém o controle da conta telefônica da mulher, prefeita de Chapadinha, Núbia Carneiro. Só ele quem atende o telefone da prefeita.

É mole!?

Direito de resposta: Edilázio nega nepotismo

Por Luís Pablo Política
 

DIREITO DE RESPOSTA

Em resposta ao Post “Te cuida, Arnaldo Melo…” publicado no dia 23 de fevereiro, venho esclarecer que antes de ser eleito deputado estadual, minha esposa, Alina Silva Sarney Costa, já exercia função comissionada na Assembleia Legislativa. Sobre essa situação, existe uma decisão no Superior Tribunal de Justiça (STJ) do ministro Ari Pargendler que afasta a possibilidade de violação do princípio da impessoalidade, considerado quando há casos de nepotismo.

Por isso, ressalto que não cometi qualquer irregularidade. Estou respaldado juridicamente já que Alina Silva já desempenhava função comissionada no Legislativo Estadual antes mesmo da minha eleição para deputado estadual.

Sobre a decisão do ministro Ari Pargendler, destaco o seguinte trecho: “O Supremo Tribunal Federal afastou a violação ao artigo 37, caput, da Constituição Federal nos casos em que, não havendo vínculo de incompatibilidade entre nomeante e nomeado, deixa de ser comprovado o nepotismo”, trecho da decisão do recurso em mandado de segurança n.º 26085.

Para exemplificar melhor tal situação, lembro aqui o caso da ex-deputada Helena Heluy e sua filha, Jaqueline Heluy, jornalista, que compõe o quadro de comunicação da Assembleia Legislativa. Jaqueline Heluy já trabalhava em cargo comissionado na Assembleia quando a sua mãe, Helena Heluy foi eleita deputada estadual. A situação das duas referidas é a mesma.

Espero ter esclarecido a situação e mais uma vez reafirmo está respaldado juridicamente, algo já foi confirmado pela Procuradoria da Assembleia Legislativa. Agradeço o espaço para minhas explicações, algo que tenho o dever de fazer como representante do povo maranhense eleito com mais de 58 mil votos.

Edilázio Júnior