Castelo chama críticos de “malandros”

Por Luís Pablo Política
 

O prefeito João Castelo em entrevista concedida à Rádio Capital AM, no programa Comando da Noite, rebateu as críticas que vem sofrendo pela péssima administração que vem fazendo.

“Isso é coisa de invejoso, fazem críticas porque a Prefeitura não dá dinheiro para malandro. Isso não vale nada, é bobagem, coisa de quem não tem o que fazer. Os cães ladram e a caravana passa!”, declarou Castelo para rádio.

Após a entrevista de Castelo, os ouvintes ligaram para rádio revoltados com a declaração do prefeito e disseram que foi uma atitude muito arrogante por parte dele.

Abaixo um vídeo da declaração do Prefeito:

‘Trem Bala’ x ‘Muralha’ marca duelo entre Vasco e Botafogo no Engenhão

Por Luís Pablo Esporte
 

Do Globoesporte

Joel Santana X Ricardo Gomes

De um lado, uma equipe que mostrou, nas últimas partidas, uma incrível força ofensiva. De outro, um grupo forte defensivamente, mas que também não deixa de fazer seus gols. Com esses elementos aliados à tradicional rivalidade, Vasco e Botafogo se enfrentam neste domingo, às 18h30m, no Engenhão, pela quarta rodada da Taça Rio.

Os nove gols marcados nas três primeiras rodadas da Taça Rio, somandos às recentes goleadas, fizeram a torcida apelidar o Vasco de “Trem Bala”. No entanto, a equipe cruzmaltina ainda luta contra a instabilidade defensiva, já que sofreu sete gols no segundo turno e perdeu para o Macaé na primeira rodada. Assim, a equipe tem apenas seis pontos somados e ocupa apenas a quinta colocação do Grupo A, após os jogos desse sábado.

Já o Botafogo tem a melhor campanha entre as 16 equipes que disputam o segundo turno do Campeonato Carioca. São três vitórias, com nove gols marcados (o mais positivo da Taça Rio) e apenas dois sofridos, liderando o Grupo B com nove pontos. Mesmo assim, ainda luta para convencer sua torcida, que costuma mostrar insatisfação com o futebol nada bonito exibido pela equipe de Joel Santana.

O PFC transmite a partida ao vivo para todo o Brasil, pelo sistema pay-per-view. O GLOBOESPORTE.COM acompanha todas os lances em Tempo Real, com vídeos. O árbitro deste confronto será Péricles Bassols Pegado Cortez, que terá os auxiliares Jackson Lourenço Massarra dos Santos e Wagner de Almeida Santos.

Protesto contra Barack Obama termina em prisões

Por Luís Pablo Brasil / Política
 

Os advogados do Partido Socialista dos Trabalhadores Unificado no Rio de Janeiro (PSTU/RJ) entraram ontem (19) com um pedido de habeas corpus para tentar libertar as 13 pessoas detidas dia 18 deste, após manifestação contra o Consulado dos Estados Unidos na capital fluminense. No episódio, ficou ferido um vigilante do prédio, atingido por um coquetel molotov.

A informação foi dada pelo presidente do PSTU/RJ, Cyro Garcia. O partido alega que não há provas contra os detidos, que não têm direito a fiança.

”E foi assim o tempo todo. Só que no final, na chegada ao consulado norte-americano, houve elementos infiltrados na passeata, que era pacífica. E lançaram o coquetel molotov, ensejando essa ação da polícia”, disse Cyro Garcia.

Garcia relatou que entre as pessoas presas estão trabalhadores, estudantes, donas de casa, aposentada e um menor de 16 anos, “que não tiveram nenhuma responsabilidade” em relação ao episódio. Os detidos foram enquadrados por tentativa de incêndio e lesão corporal e são considerados criminosos comuns. Dez pessoas são militantes do PSTU.

Na avaliação do presidente do partido no Rio, a provocação feita pelos elementos infiltrados no ato visou “a jogar a repressão contra a manifestação pacífica” que estava sendo realizada. Um dos objetivos, frisou, seria tentar esvaziar o protesto que está sendo convocado para hoje (20), às 10h.

Abaixo a lista dos 13 presos políticos no ato de sexta-feira. Destes, 10 são militantes do PSTU. Os homens foram levados ao presídio de Bangu 8 e as mulheres, para o de Àgua Santa.

Gilberto Silva – eletricista

Rafael Rossi – professor de estado, dirigente sindical do SEPE

Pâmela Rossi – professora do estado e casada

Thiago Loureiro – estudante de Direito da UFRJ, funcionário do Sindjustiça

Yuri Proença da Costa – funcionário dos Correios

Gualberto Tinoco “Pitéu” – servidor do estado e dirigente sindical do SEPE

Gabriela Proença da Costa – estudante de Artes da UERJ

Gabriel de Melo Souza Paulo – estudante de Letras da UFRJ, DCE-UFRJ

José Eduardo Braunschweiger – advogado

Andriev Martins Santos – estudante da UFF

João Paulo – estudante Colégio Pedro II

Vagner Vasconcelos – Movimento MV Brasil

Maria de Lurdes Pereira da Silva – doméstica

Protógenes denuncia escândalo envolvendo Daniel Dantas e STJ

Por Luís Pablo Política
 

Protógenes Queiroz

Segundo Protógenes, o desembargador temporário do Superior Tribunal de Justiça, Anibal Macabu, deu liminares estarrecedoras em benefício de Daniel Dantas “contra todos os princípios legais, ordenamentos processuais e a Constituição”.

Protógenes lembrou que o filho do desembargador, Adilson Macabu Filho, é empregado de Sérgio Bermudes, que patrocina com a remuneração de 8,8 milhões de reais, as causas de Daniel Dantas.

O deputado oficiou a Procuradoria da Câmara, o Ministério Público Federal e o Conselho Nacional de Justiça para que investiguem o escândalo que se arma na Justiça brasileira.

Protógenes comunicou ainda aos deputados que se qualificou para testemunhar contra Dantas em todos os julgamentos das liminares.

Concluiu o deputado: “a reforma política do Brasil tem que começar pela reforma do Judiciário”.

(Com informações do site Conversa Afiada)

Fraude nas eleições na UEMA é tema de discurso no plenário da Câmara

Por Luís Pablo Política
 

Nesta semana, o Deputado Domingos Dutra (PT/MA) foi ao plenário da Câmara para falar sobre o as denúncias de fraudes na eleição para a reitoria da Universidade Estadual do Maranhão (UEMA). De acordo com o parlamentar, a UEMA é a única no seguimento de natureza pública do Maranhão – Estado com cerca de 6 milhões de habitantes e 217 Municípios. “A Universidade tem mais de 30 mil estudantes estão espalhados em 31 campi que, infelizmente, sempre foi utilizada para fins meramente políticos”, destacou o Parlamentar.

Segundo o Deputado, a Universidade estendeu seus cursos a outros campi, mas não criou estruturas necessárias para prestar um bom ensino aos estudantes. “Hoje os núcleos de extensão da UEMA estão falidos e sem biblioteca. A maioria dos professores é por contratados temporários – não têm estabilidade, segurança jurídica e autonomia para desenvolver uma política educacional eficiente e independente”, denunciou o Parlamentar.

De acordo com informações, cerca de 400 professores contratados (que não têm direito ao voto) participaram das eleições para reeleger o reitor José Augusto. Várias denúncias foram registradas em atas de urnas durante o pleito, no entanto, a Comissão Eleitoral se negou em divulgar a listagem com o número e nome dos votantes. Após o caso ser comunicado à Justiça, a listagem foi depositada em juízo, porém, ao confrontar a listas de votação com a lista depositada os dados não bateram.

“Ainda hoje a eleição da UEMA está sub judice. O atual Reitor foi reeleito ou ‘trieleito’ sob contestação, pois, de acordo com o estatuto da Universidade, é permitida apenas uma reeleição. Resultado: liminares para lá, liminares para cá; liminares pela manhã; liminar que derruba liminar durante a noite”, explicou o Deputado Domingos Dutra ao lamentar que esse fato viola a democracia e impede investimentos.

Para sanar o problema, Domingos Dutra solicitou que o Poder Judiciário decida de forma célere quem deve continuar na direção da UEMA para que não haja problemas durante o ano letivo ao acadêmico. “É preciso que o Governo do Estado faça investimento maciço, que cumpra a Constituição Estadual, no sentido de garantir autonomia financeira, funcional e administrativa à UEMA para estender seus campi”, destacou o Deputado.

“É impossível que um Estado se desenvolva com o nível da educação básica e superior que temos”, concluiu o Deputado Domingos Dutra do alto da tribuna.

Enchentes deixam mais de 7 mil pessoas desabrigadas no Maranhão

Por Luís Pablo Maranhão
 

Do GI

Plantações atingidas por enchente em Trizidela

Sete cidades maranhenses registram prejuízos por causa das chuvas intensas e das cheias dos rios Mearim, Itapecuru e Tocantins. De acordo com boletim divulgado pela Defesa Civil, o estado tem 7.413 desabrigados e 6.203 desalojados.
Seis municípios decretaram emergência. São eles: Bacabal, Coroatá, Igarapé Grande, Pedreiras, São Luís Gonzaga do Maranhão e Trizidela do Vale. O município de Imperatriz encontra-se em situação anormal, mas ainda não decretou emergência, segundo a Defesa Civil.

A situação é crítica em Trizidela do Vale. O Rio Mearim está 5,5 metros acima do nível normal e continua a subir. No total, o município tem 3.105 desabrigados e 2.616 desalojados. Cerca de 630 cestas básicas foram distribuídas para a população atingida. Em Pedreiras, que vizinha de Trizidela do Vale, o nível do Rio Mearim chega a 5,7 metros acima do normal. A cidade tem 1.580 desabrigados e 2.445 desalojados.

Bacabal tem 2.300 desabrigados e 540 desalojados. Equipes da Defesa Civil estiveram na cidade na quarta-feira (16) para distribuir 20 barracas a famílias afetadas. Outras 80 foram encaminhadas para Trizidela do Vale e Pedreiras.

Maranhão terá R$ 28 milhões para desenvolver arranjos produtivos

Por Luís Pablo Maranhão
 

Do Maranhaohoje

O Maranhão disporá de R$ 285 milhões a serem empregados no desenvolvimento de cadeias produtivas. O repasse será por meio do Nordeste Territorial, estratégia que visa integrar pequenos produtores a beneficiadores e distribuidores, com ênfase na formação de Arranjos Produtivos Locais (APLs). Os recursos são oriundos do Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste (FNE), operacionalizado pelo Banco do Nordeste.

A metodologia abrange ações nos segmentos de micro e pequenas empresas, agricultura familiar, políticas públicas e inovação tecnológica. Ao todo, 45 projetos territoriais foram selecionados, de acordo com o potencial de cada microrregião maranhense.

Bovinocultura de leite e de corte, avicultura, grãos e extrativismo estão entre as atividades financiáveis, mas, nesse ano, o programa também contempla setores urbanos, como o da construção civil, petróleo e gás, saúde, turismo e comércio varejista.

Segundo o gerente de Desenvolvimento Territorial do BNB no Maranhão, Jaubas Alencar, pouco a pouco o trabalho do agente de desenvolvimento, funcionário responsável pela articulação de parcerias e realização de negócios, está deixando de ser exclusivamente rural para ganhar novas dimensões econômicas, ampliando seu raio de ação.

“O agente de desenvolvimento é o elo entre as agências do Banco e os grupos produtivos, visitando clientes de toda a cadeia, negociando com empresas-âncoras a transferência de tecnologia, discutindo políticas públicas e ajudando as associações de produtores a resolverem gargalos, como o de escoamento da produção”, ressalta. Ele salienta que o Banco do Nordeste tem, atualmente, um agente de desenvolvimento para cada uma de suas 15 agências, o que potencializa a estratégia.

Para o gestor, o Nordeste Territorial, além da relevância socieconômica, é importante para o Banco por diminuir riscos dos financiamentos, em virtude da estruturação das cadeias produtivas. “O conceito de mitigação de riscos pressupõe ações antecedentes e concomitantes à concessão do crédito, garantindo apoio à produção, prestação do serviço e qualificação do empreendedor”, destaca.

Executivo, Legislativo, Judiciário e imprensa massacram os professores

 

Do blog Luis Cardoso

Nunca na história do Maranhão se assistiu a um massacre tão cruel a uma classe que deveria ser prestigiada, estimulada, priorizada e, sobretudo, respeitada como a classe dos professores.

Uma campanha sórdida contra a categoria que usa a greve como único e último instrumento para garantir seus reais interesses e preservar os direitos.

Muito antes da greve dos professores da rede estadual de ensino, deflagrada neste mês, o Governo do Estado sabia previamente da pauta de reivindicação da categoria, que acabou ludibriada.

Os mestres pleiteavam, como ponto principal da pauta, um aumento de 40%, ainda que escalonado. Disto todos sabiam.

Mas o Governo do Estado, no curso das negociações, apresentou um escalonamento que vai além do mandato da atual ocupante do Palácio dos Leões. Um jogada perigosa. Um engôdo futuro, para ser mais verdadeiro.

Bastou o início da greve, o Palácio armou-se com todos os dentes e as garras dos leões para atirar os professores na jaula.

Massificou uma campanha para mostrar que os salários da categoria são os melhores e maiores do país, ao ponto de responsabilizar os professores pelos péssimos índices educacionais no Maranhão.

Se o professor ganha bem, qual a razão da péssima qualidade de ensino? Uma insinuação descabida. Tirou de sí a responsabilidade e jogou nas costas calejadas dos mestres. O educador deveria, sim, ganhar muito mais. E ao governo caberia implantar políticas públicas sérias para o setor e exigir dos professores a execução dos seus programas educacionais.

Mas não parou por aí, não. Usou toda a imprensa alinhada para jogar a sociedade contra os grevistas, principalmente os pais e alunos.

Toda a estrutura da Secom é utilizada diariamente para mostrar que os professores são os bandidos e o governo o mocinho. A que ponto chegamos.

Com o Legislativo, que tem sido sempre um apêndice do Executivo, não poderia ter sido diferente. Acocorada eterno aos desejos do Palácio dos Leões, a Assembléia Legislativa não honrou o nome que tem do guerreiro Manoel Bequimão.

Ensaiaram reuniões como se estivessem na causa dos professores ou mesmo na busca de soluções para o fim da greve. Puro teatro. Os professores foram a sede do Assembléia colocar suas reivindicações. Os deputados foram agachados ao gabinete da secretária de Educação. Quanta disfarçatez.

Aí o Judiciário entrou em campo na condição de árbitro, daqueles que apitam sempre a favor dos mais fortes. O TJ decretou a ilegalidade da greve, alegando que as negociações haviam sido interrompidas antes de esgotadas.

Como antes de esgotadas se todas já sabiam da posição irredutível do Governo do Estado? Então só deve prevalecer a voz e pulso do Estado? Só a ele é dado o direito de negociar como bem entender, sem abrir um milimetro de sua posição?

Em campo, o Judicário arbitrou o pagamento de multas de R$ 50 mil por dia se a greve permanecer. E mais: os descontos em folha de todos os dias parados, que hoje totalizam 18. Não tenho dúvidas: voltamos para o regime militar. Afinal, estamos no Maranhão, terra de quem pode e manda. Uma capitania hereditária.

Como as campanhas na imprensa não levaram a sociedade ao equivoco, foi preciso o Legislativo que nada entende da voz rouca das ruas, da luta dos professores. E por fim, recorreram ao Judicário, o último instrumento para apagar do quadro as reivindicações da classe. Uma lástima.

Tiros, prisões e tumultos em Conceição do Lago-Açu

Por Luís Pablo Política
 

Do blog Luis Cardoso

Prefeita Marly Sousa

A sessão de hoje da Câmara Municipal de Conceição do Lago-Açu foi marcada por tumultos, quebra-quebra, tiros e prissões. A maioria dos vereadores iria abrir uma Comissão Processante para apurar irregularidades na administração municipal.

Precavida, a prefeita Marly Sousa, arregimentou aliados e jagunços para bagunçar a sessão. A polícia foi chamado ao local e para acalmar os ânimos, disparou tiros com bala de borracha contra os bagunceiros.

Dois filhos e um sobrinho da prefeita foram presos e transferidos para uma delegacia de Bacabal, a sessão foi adiada para próxima quarta-feira.

Igreja abandona hospital de 100 leitos no Maranhão

Por Luís Pablo Maranhão
 

O Maranhão é o estado mais pobre do Brasil com o menor índice de desenvolvimento humano. Na região sul do Estado, o município mais pobre e com imensos problemas de ordem econômica e social é Montes Altos, com população de aproximadamente 10 mil habitantes e IDH de apenas 0,61.

Em Montes Altos, o índice de mortalidade infantil é altíssimo, chegando a 90 mortes por cada mil recém-nascidos. Para piorar, a expectativa de vida é de apenas 61 anos, quando a média brasileira é de 75 anos. Embora as necessidades sejam imensas, especialmente na área de saúde, tanto para Montes Altos como para a região Oeste maranhense, um hospital pertencente à Igreja Católica que está fechado há quase uma década.

Construído na década de 1970 pelo frei Aristides Arioli, o prédio com boas instalações comporta 100 leitos. Localizado num amplo terreno que domina uma posição estratégica no município, a “Casa Pontifícia Alívio do Sofrimento Dr. Piero Saronio” está abandonada. Nos últimos anos chegou a servir como um ambulatório, mas atualmente nem abre para simples consultas.

O hospital, que hoje é chamado de Casa Pontifícia Alívio do Sofrimento, estaria sendo administrado ilegalmente por uma associação criada para capitalizar, unicamente, recursos públicos, sem atender às necessidades de toda a população da microrregião.

A Igreja Católica parece ter abandonado a instituição desde a morte do frade Aristides Arioli, no dia 8 de agosto de 1995.
De acordo com um livro escrito por Nestor Bráulio Milhomem Ferraz, mais tarde queimado em praça pública, a morte do padre nunca foi bem explicada. O escritor afirma que “há quem garanta que ele fora vítima de homicídio, do qual o principal suspeito é o seu quisto e protegido Zé, o analfabeto e ambicioso Zé do Padre, um carpinteiro sem grandes qualidades que foi, por amor do padre, elevado à condição de diretor do hospital”.

O hospital foi construído com recursos da comunidade local, provocada à época pelo frei Aristides. Mas boa parte do dinheiro veio de uma doação feita pela viúva Angela Boseli, esposa de um engenheiro químico e proprietário de uma rede de laboratórios na Itália. Por conta dessa gratidão é que o hospital tem em seu nome Dr. Piero Saronio.

Na época da inauguração, em 26 de julho de 1974, a Casa Pontifícia foi doada à Igreja, mantendo-se sob os olhares do frade por pouco mais de trinta anos.