Flávio Dino desmente neto de Sarney e diz que não houve nenhum acordo

Por Luís Pablo Política
 
Governador Flávio Dino

Governador Flávio Dino

O governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), desmentiu o deputado estadual Adriano Sarney, neto do ex-presidente José Sarney.

Adriano revelou em discurso na tribunal da Assembleia Legislativa que Flávio fez um acordo com seu avô, durante encontro na casa do ex-presidente em Brasília, na semana passada (veja aqui).

Em entrevista, Dino assegurou que a junção dele com Sarney se limitou apenas ao âmbito nacional e que no Maranhão seguirá adversário da família.

“Houve algum tipo de conversa sobre política do Maranhão? Não. Houve algum tipo de acordo sobre política do Maranhão? Não. Há algum desdobramento clássico sobre eleições vindouras? Também não”, disse Flávio Dino ao ser questionado pela imprensa.

Discurso de Adriano Sarney sobre acordo com Flávio Dino gera mal-estar na família

Por Luís Pablo Política
 

Adriano e o avô Sarney

Adriano e o avô Sarney

O discurso do deputado estadual Adriano Sarney, neto do ex-presidente José Sarney, gerou um grande mal-estar na família.

Adriano ocupou, na segunda-feira (2), a tribuna da Assembleia Legislativa para revelar que o avô fez um acordo com o governador do Maranhão, Flávio Dino, (agora ex) inimigo número da família.

Flávio e Sarney estiveram juntos na casa do ex-presidente em Brasília, na semana passada. O encontro entre os dois foi secreto, mas acabou sendo vazado pela imprensa.

A família Sarney queria manter tudo abafado, mas o discurso de Adriano acabou gerando ainda mais polêmica (reveja aqui) e isso acabou deixando seus familiares chateados.

MP pede condenação de ex-prefeitos de Bom Jardim por desvios na previdência

Por Luís Pablo Política
 
Malrinete Gralhada é alvo de ação do Ministério Público

Malrinete Gralhada é alvo de ação do Ministério Público

O Ministério Público do Maranhão entrou com uma denúncia criminal na Justiça por desvio de recursos públicos no município de Bom Jardim, distante 184 km de São Luís. Entre os citados pela ação do promotor Fábio Santos de Oliveira estão os ex-prefeitos da cidade, Malrinete dos Santos Matos (Malrinete Gralhada) e Manoel da Conceição Ferreira Filho (Sinego).

Além dos dois ex-prefeitos, foram denunciados Hadad Mendes Sousa e Sílvia Cristina Rodrigues Sousa, responsáveis pela H. Mendes Sousa – ME, e mais Gilvan Cunha de Sousa, Plínio Marçal Santos Reis, ex-superintendente do Bomprev, Maria Zélia da Silva Rodrigues, Raimundo Gomes dos Reis Filho, Máximo Félix Barbosa Neto, Isamar Lima Barbosa e Rosimar Silva Nascimento.

Segundo a investigação da Comarca de Bom Jardim, o esquema começou quando Lidiane Leite, conhecida como ‘prefeita ostentação’, foi afastada do cargo de prefeita – também por desvios de recursos públicos – e Malriente Gralhada assumiu. Segundo o promotor Fábio de Oliveira, a então prefeita comandou com servidores públicos e empresários, um esquema para contrair empréstimos da previdência municipal (Bomprev) e em seguida desviar os recursos para benefício próprio.

“Eles pretendiam desviar R$ 7,8 milhões, mas com nossa ação rápida conseguimos evitar este saque todo, mesmo assim não conseguiram desviar. Foram até quatro empresas beneficiadas e pessoas físicas também. Na denúncia fundamentamos uma série de indícios de fraudes”, disse o promotor.

Depois do afastamento de Malriente Gralhada, quem assume a prefeitura é Manoel da Conceição e, segundo o MP, as ações criminosas contra a previdência municipal não mudam, pelo contrário, ficam mais intensas.

“A pedido do Ministério Público, Malrinete foi afastada do cargo. Aí o que entrou, fez foi aumentar a prática criminosa”, declarou Fábio de Oliveira.

Diante dos fatos, o MP pede que a Justiça condene os envolvidos e que eles devolvam até R$ 1 milhão aos cofres públicos, valor que estimado pelo órgão como desviado no esquema. “É a responsabilidade solidária. Pode ser apenas um condenado a devolver, como todos”, concluiu o promotor.

Seis praias estão impróprias ao banho durante as férias na ilha de São Luís

Por Luís Pablo Maranhão
 
21 pontos de praias entre São Luís e Ribamar não possuem condições de banho, segundo laudo da SEMA

21 pontos de praias entre São Luís e Ribamar não possuem condições de banho, segundo laudo da SEMA

De acordo com último laudo de balneabilidade divulgado pela Secretaria de Meio Ambiente do Maranhão (SEMA), 21 pontos em praias entre São Luís e São José de Ribamar não possuem condições seguras para ter contato e muito menos banhar.

Os dados são de laudos do Laboratório de Análises Ambientais (LAA), que é emitido mensalmente. O último laudo é baseado em pesquisa realizada entre 27 de maio e 24 de junho de 2019 e indica que o período referente as férias de julho na ilha terá seis importantes praias com problemas de poluição.

Na Avenida Litorânea, por exemplo, não é raro ver esgoto estourado pela orla. Em um dos pontos da avenida, parte do calçamento cedeu e foram os donos de bares que improvisaram um conserto para não perder clientes.

Para oceanógrafos, um dos grandes perigos de banhar em praias poluídas está no risco de contrair o ‘bicho geográfico’, uma infecção causada por larvas que causa vermelhidão e coceira na pele. A atenção deve ser maior com as crianças, visto que elas costumam brincar com areia.

Veja todos os pontos impróprios em praias da ilha de São Luís:

Praia da Ponta D’ areia – Ao lado do Forte Santo Antonio
Praia da Ponta D’ areia – Atrás do Hotel Praia Mar
Praia da Ponta D’ areia – Atrás do Bar do Dodô
Praia da Ponta D’ areia – Em frente a Praça de Apoio ao Banhista
Praia da Ponta D’ areia – Em frente ao Edifício Herbene Regadas
Praia da Ponta D’ areia – Em frente ao Hotel Brisa Mar
Praia de São Marcos – Em frente a Barraca da Marcela
Praia de São Marcos – Foz do Rio Calhau
Praia de São Marcos – Em frente aos Bares Do Chef e Marlene’s
Praia de São Marcos – Em frente ao Agrupamento Batalhão do Mar
Praia de São Marcos – Em frente ao IPEM e ao Bar Kalamazoo
Praia do Calhau – À direita da elevatória II da CAEMA
Praia do Calhau – Em frente a Pousada Tambaú
Praia do Calhau – Em frente ao Bar Malibu
Praia do Olho d’Água – A direita da Elevatória Pimenta I
Praia do Olho d’Água – À direita da Elevatória Iemanjá II
Praia do Meio – Em frente ao Bar do Capiau
Praia do Meio – Em frente ao Bar da Praia
Praia do Araçagy – Em frente ao Fatima’s Bar
Praia do Araçagy – Em frente ao Bar Novo Point
Praia do Araçagy – Em frente ao Bar do Isaac

(Com informações do G1MA)

Prefeito pede doações da população em dinheiro para construir creche no MA

Por Luís Pablo Política
 

O prefeito Lahesio Rodrigues (PSDB) está pedindo doações da população em uma conta bancária para construir uma creche em São Pedro dos Crentes-MA.

O pedido foi feito em sua própria rede social, onde ele diz que não é corrupto e justifica a medida como um plano de ação para realizar a obra em meio a um déficit no município.

“O FUNDEB não tem recursos para se fazer uma obra desse porte. É um dinheirinho contado. O investimento do Governo Federal para construir creche no governo que passou foi de 10 milhões de reais para um Brasil inteiro construir creche. Isso é ridículo. Então a única forma que eu achei foi pedir dinheiro. É muito ousado, mas é o jeito”, disse Lahesio.

Sobre os recursos do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (FUNDEB), a reportagem apurou que o sistema de informações do Banco do Brasil aponta o repasse de mais de 600 mil (R$ 693.937,5) à prefeitura, apenas pelo FUNDEB, somente entre maio e junho de 2019.

Maquete da creche que a Prefeitura de São Pedro dos Crentes quer fazer por meio das doações dos moradores

Maquete da creche que a Prefeitura de São Pedro dos Crentes quer fazer por meio das doações dos moradores

Meta da conta bancária para as doações – Atualmente, a conta bancária para as doações à prefeitura possui R$ 5 mil e a meta é juntar R$ 100 mil para comprar a matéria prima para a creche. A obra, segundo Lahesio, será realizada por execução direta com toda a mão de obra fornecida pela prefeitura.

“Por que vamos fazer execução direta? Engenheiro, nós temos. Os pedreiros, nós temos. Os serventes, nós temos. Nós também fazemos mutirões, eu e meus secretários. Então nós vamos licitar só o material e a mão de obra toda é da prefeitura”, disse o gestor.

O prefeito disse ainda que não teme que a medida seja ilegal. Para ele, não há irregularidade e ainda existe o respaldo da Câmara de Vereadores e da população.

“É legal. Antes de fazer, eu me respaldei. Fizemos o projeto para a Câmara, a câmara aprovou. Se o legislativo aprovou, acabou. […] Como essa conta também é da prefeitura, as pessoas doam nessa conta e a prestação de contas vai ser feita conforme se faz naturalmente nas contas da prefeitura, como FUNDEB, SUS, FPM… A gente vai prestar contas ao TCE como se fosse uma conta qualquer da prefeitura”, declarou Lahesio.

(Com informações do G1MA)

WhatsApp, Instagram e Facebook têm problemas de instabilidade

Por Luís Pablo Brasil
 

As plataformas do Facebook, incluindo Whatsapp e Instagram, estavam com problemas de funcionamento na manhã desta quarta-feira (3). Entre os principais problemas encontrados pelos usuários estão o envio de mídias, como fotos, vídeos, áudios e figurinhas (no caso do WhatsApp).

O site Down Detector, que aglomera reclamações de consumidores sobre o status de serviços online, teve fortes reclamações sobre as redes sociais do Facebook.

Contatado pelo G1, o Facebook enviou uma nota oficial sobre o caso. “Sabemos que algumas pessoas e negócios estão com problemas para carregar ou enviar imagens, vídeos e outros arquivos em nossos aplicativos. Estamos trabalhando para normalizar a situação o mais rápido possível.”

A maior parte dos usuários que passaram por problemas no WhatsApp estão no Brasil, Argentina, Peru, Colômbia e alguns países da Europa. Já o Facebook e o Instagram tiveram muitas reclamações nos Estados Unidos e também na Europa.

Ministério Público diz que está atento a maus-tratos na Cavalgada de Imperatriz

Por Luís Pablo Maranhão
 
Cavalgada de Imperatriz será neste sábado (6)

Cavalgada de Imperatriz será neste sábado (6)

A tradicional Cavalgada de Imperatriz, marcada para sábado (6), está sendo monitorada pelo Ministério Público do Maranhão. Em documento enviado aos organizadores do evento e as autoridades, o promotor Joaquim Ribeiro Júnior, da 3ª Promotoria de Defesa do Meio Ambiente de Imperatriz, orientou a todos para evitar maus-tratos aos animais e assim evitarem até prisão em flagrante.

O documento do MP foi encaminhado ao Sindicato Rural de Imperatriz, as secretaria municipais de Trânsito, Planejamento Urbano, Meio Ambiente e Recursos Hídricos e Defesa Civil. Na esfera estadual, o documento foi enviado à Secretaria da Infraestrutura e às Polícias Militar e Civil.

Segundo o promotor Joaquim Ribeiro Júnior, este documento foi encaminhado por conta de maus-tratos aos animais nas edições anteriores do evento. Fatos que motivaram ações na justiça movidas pelo Ministério Público.

Entre as orientações, o MP exige que durante o desfile até quatro pessoas subam nos veículos puxados pelos animais. Passando deste limite, as pessoas serão excluídas do evento. Os donos das carroças não poderão usar material que machuque o animal, como pedaços de madeira em local indevido.

A Promotoria do Meio Ambiente disse que vai exigir também a participação apenas dos credenciados pela Secretaria Municipal de Trânsito (Setran). A inscrição prévia serve para controle das autoridades.

“O consumo de qualquer tipo de bebida ou alimentação durante a cavalgada deve ser realizado em material plástico, PET, alumínio, lata, papelão, ou similar, desde que após a utilização sejam devidamente acondicionados e entregues ao serviço de limpeza pública. Competirá ao Sinrural distribuir aos condutores dos veículos de tração animal, no mínimo 3 mil sacolas plásticas e de material resistente para o recolhimento do lixo produzido no evento, evitando a poluição do meio ambiente”, disse o promotor.

A participação das Polícias Militar e Civil vão servir, entre outras demandas, para prevenir e repremir os casos de maus-tratos a animais e também poluição ao meio ambiente, antes, durante e após a cavalgada. Quem desrespeitar as determinações legais pode até ser preso em flagrante.

Presidente da Câmara de Barra do Corda é alvo de ação do MP

Por Luís Pablo Política
 
Fachada do Ministério Público do Maranhão

Fachada do Ministério Público do Maranhão

O presidente da Câmara de Vereadores de Barra do Corda, Gilvan José Oliveira Pereira, é alvo de seis Ações Civis Públicas do Ministério Público do Maranhão por conta de licitações para locação de veículos. De acordo com o promotor Guaracy Martins Figueiredo, o processo foi irregular.

Segundo levantamento do MP, Gilvan Pereira firmou contrato com empresas com base em licitações realizadas de 2013 a 2018. Segundo o Ministério Público, várias irregularidades aparecem nas licitações destes anos, o que fere a Lei Federal n° 8.666/1993.

O MP disse que o procedimento foi viciado, ou seja, com pleno direcionamento para as empresas vencedoras e disse ainda que não houve a publicidade ideal dos certames.

Além do vereador, o Ministério Público citou também José de Ribamar Oliveira Azevedo (pregoeiro em 2013) e os presidentes da Comissão Permanente de Licitação (CPL) Gliciane Silva Lopes (2014 e 2016); Erlane Ribeiro Freitas (2015) e Elacir Pereira Queiroz (2017 e 2018).

Além destas pessoas, o promotor disse na ação que as empresas que participaram do processo irregular foram D.S. Macedo – ME , representada por Djoci Sousa Macedo, vencedora de cinco dos seis certames, e F.D. de Menezes, representada por Fabiano Dockhorn de Menezes, vencedora em 2014.

A promotoria pediu que a Justiça determinasse a indisponibilidade dos bens dos réus com base nos valores movimentados nos respectivos anos. Assim, pediu o bloqueio de até R$ 89.400 referente aos envolvidos em 2013, R$ 76.500,00 refente a 2014, R$ 110 mil a 2015, R$ 120 mil por conta de 2016, R$ 96 mil por 2017 e R$ 120 mil relacionado aos implicados em 2018.

O MP pediu à Justiça a condenação dos citados por ato de improbidade administrativa.

VÍDEO! Neto de Sarney revela que Flávio Dino fez acordo com o avô

Por Luís Pablo Política
 
Deputado Adriano Sarney

Deputado Adriano Sarney

O deputado estadual Adriano Sarney, neto do ex-presidente José Sarney, ocupou a tribuna hoje (2) para revelar que o governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), fez acordo com o seu avô.

“Houve um acordo entre Flávio Dino e José Sarney. Eu vou falar aqui os detalhes do acordo? Não. Não sou eu que vou falar os detalhes do acordo. O povo do Maranhão vai presenciar esses detalhes desses acordos. O futuro dirá e todos saberão, mas houve um acordo, sim”, disse o parlamentar.

O neto de Sarney demonstrou insatisfação com o encontro entre o avô e o (agora) ex-inimigo 1° da família. Como todos sabem, Flávio Dino agora é aliado de Sarney, ambos selaram essa aliança quando o governador foi até a casa do ex-presidente em Brasília, na semana passada. (Reveja aqui).

“Uma indecência que foi feita de uma visita de Flávio Dino, porque para mim foi uma indecência […] Estão fazendo acordos que podem muito bem prejudicar não a nós, mas também a todo o povo do Maranhão. Discordo com este acordo que foi feito”, falou Adriano Sarney.

CLIQUE E VEJA O DISCURSO DO NETO DE SARNEY NA TRIBUNA DA ASSEMBLEIA:

Ex-deputado Júnior Verde vai comandar o PTC no Maranhão

Por Luís Pablo Política
 
Ex-deputado Júnior Verde

Ex-deputado Júnior Verde

O ex-deputado estadual Júnior Verde vai deixar o PRB para comandar um partido no Maranhão. O ex-parlamentar deu a volta por cima e vai ficar à frente do Partido Trabalhista Cristão (PTC).

O PTC é comandado há anos pelo deputado estadual Edivaldo Holanda, que irá caiu do trono após forte articulação do deputado federal Cléber Verde (PRB), irmão de Júnior Verde.

A equipe de reportagem do site do Luís Pablo apurou que foi encaminhado hoje, dia 2, pela Direção Nacional do PTC ao Tribunal Eleitoral do Maranhão o comunicação oficializando Júnior Verde como novo presidente estadual da legenda.

Com o comando do PTC – mais o do PRB, a família Verde vem fortalecida para as eleições de 2020 em várias municípios do Estado.