Roger Agnelli reage às notícias sobre sua demissão da Vale

Por Luís Pablo Política
 

O presidente da Vale, Roger Agnelli, reagiu às noticias que dão como certa a não renovação do seu mandato à frente da empresa, com uma nota curta, em que enfatiza não fazer política, ou seja, tem se dedicado apenas ao trabalho.

De acordo com as notícias saídas de Brasília, o governo federal já teria acertado com o Bradesco, majoritário na sociedade da mineradora, a saída de Roger. A reunião do conselho, para escolha do novo presidente ou renovação do mandato do atual, será dia 19 de abril.

Na nota, o presidente da Vale informa que desde quando assumiu o comando da empresa sua única tarefa foi trabalhar, e é isto que está fazendo nestes últimos dias.

Veja a nota na íntegra:

“A decisão sobre a escolha do diretor-presidente da Vale compete exclusivamente aos acionistas controladores da empresa. O que tenho feito nos últimos dias é o mesmo que fiz ao longo de toda a minha carreira: trabalhar. Não tenho envolvimento com qualquer questão política relativa a este assunto”.

Roger Agnelli
Diretor-presidente da Vale

Rogério Porcão nomeia três indicações de Joaquim Haickel

Por Luís Pablo Política
 

Após ter sido publicado neste blog a nomeção da filha do secretário de Estado de Esporte e Lazer, Joaquim Haickel (reveja). O deputado Rogério Cafeteira (PMN), em seu primeiro mandato, vem fazendo as velhas práticas da política maranhense.

O parlamentar fez três nomeações ligadas ao secretário, Ivana Tereza Amélia Aquino Farias (ex-mulher), Avana Cristina Farias de Sousa (ex-enteada) e Laila Farias Haickel (filha). No ato, Rogério Porcão pratica nepotismo cruzado (no caso da filha de Joaquim) e demonstra a falta de respeito perante a lei. Todas foram nomeadas com o símbolo ISO no cargo de Técnico Parlamentar Especial, cargo este que pode chegar a mais de R$ 14 mil.

Cabaré faz propaganda da Prefeitura

Por Luís Pablo Política
 

Do blog de Daniel Matos

Não são só os moradores do Parque Vitória e bairros adjacentes que estão comemorando a recuperação da avenida da Vitória, inaugurada com pompa pelo prefeito João Castelo (PSDB), no último dia 19.

Os proprietários da Boate Zero Um, casa de shows eróticos mais luxuosa de São Luís, também estão fazendo festa por causa da obra.

O contentamento é tanto que a reforma da via vem servindo de mote em uma campanha de divulgação promovida pelo estabelecimento.

Panfletos distribuídos em semáforos da capital trazem, em destaque, a informação de que o acesso à boate foi completamente recuperado. Em meio a fotografias de belas mulheres, o material traz os seguintes dizeres: “Acesso à boate Zero Um totalmente recuperado”.

Como se vê, além de beneficiar milhares de cidadãos de baixo poder aquisitivo que residem naquela área de São Luís, a obra tornou mais fácil o acesso ao grupo seleto que costuma buscar prazer e diversão na requintada boate.

O que seria do MA sem professores?

Por Luís Pablo Maranhão
 

Cerca de 46 mil professores da rede estadual estão em greve a duas semanas e nada de sinalização de acordo entre a categoria e o Governo do Maranhão. Em meio ao impasse, pais se preocupam com os filhos, que estão sem aulas há duas semanas. O motivo principal da greve é a recusa do Governo do Estado em atender as reivindicações do sindicato.

Ninguém nega o valor da educação e que um bom professor é imprescindível. Mas, ainda que desejam bons professores para seus filhos, poucos pais desejam que seus filhos sejam professores.

Isso mostra o reconhecimento que o trabalho de educar é duro, difícil e necessário, mas o Governo permite que esses profissionais continuem sendo desvalorizados.

A mal remuneração, com péssimas condições de trabalho, com baixo prestígio social e responsabilizados por qualquer fracasso da educação, grande parte resiste e continua apaixonada pelo seu trabalho.

Apesar dos quatro poderes (executivo, judiciário, legislativo e imprensa) estarem contra a categoria, eles não desanimam diante dos desafios, nem deixam de educar as pessoas para serem “águias” e não apenas “galinhas”. Pois, se a educação sozinha não transforma a sociedade, sem ela, tampouco, a sociedade muda.

Será que é tão difícil reconhecer o trabalho de quem um de nos ensinou!?

‘Deputado do PT me pediu dinheiro’, diz Arruda à Justiça

Por Luís Pablo Política
 

Do Noblat

O ex-governador do Distrito Federal José Roberto Arruda (ex-DEM) afirmou à Justiça que o deputado distrital Chico Leite (PT) participou do esquema de corrupção revelado pela Operação Caixa de Pandora da Polícia Federal. É o primeiro parlamentar petista citado no escândalo. O iG obteve acesso a trechos do depoimento do ex-governador, prestado depois da eleição de 2010.

Arruda contou que Chico lhe pediu dinheiro em reunião realizada na casa do ex-procurador-geral do Distrito Federal Leonardo Bandarra. Ele é acusado de cobrar R$ 1,6 milhão de Durval Barbosa, delator do esquema.

Em troca, o então procurador-geral tinha de blindar o governo contra investigações e fornecer informações privilegiadas. O petista confirma o encontro, mas nega ter sido beneficiado.

Deputado distrital em segundo mandato, Chico Leite é promotor de Justiça desde 1989 e colega de Bandarra no Ministério Público. Afastado do cargo, ele se elegeu pela primeira vez em 2003 pelo PC do B. Em 2006, migrou para o PT. Em 2010, tinha planos de se lançar candidato ao Senado.

“Eu tive vários encontros na casa dele (Bandarra), sempre chamado por ele. Eu diria que três ou quatro. Eu me recordo muito bem de dois. Um, onde estava o deputado Chico Leite pedindo dinheiro para campanha”, disse, de acordo com trechos do depoimento de Arruda à Justiça.

Vítimas de enchentes ganham casas novas com rachaduras no Maranhão

Por Luís Pablo Maranhão
 

Do Jornal Nacional

Vítimas de enchentes da cidade de Trizidela do Vale, no Maranhão, ganharam casas novas para saírem das áreas de risco em que viviam, mas apareceu outro problema.

De longe, as casas do residencial Monte Cristo até parecem bem construídas, mas, quando chegamos perto, os problemas logo aparecem.

Em novembro do ano passado, a prefeitura de Trizidela do Vale começou a entregar as casas no conjunto habitacional. Os contemplados são famílias que viviam à beira do Rio Mearim. O problema é que, apenas quatro meses depois que elas ficaram prontas, as casas já estão rachando. Em uma delas, os pedaços saem com muita facilidade.

As rachaduras se espalham pelas paredes e pelo chão. E muitas casas já foram abandonadas. “Uma casa não é para a gente passar um mês nem dois meses. Uma casa é para o infinito”, comenta o vendedor Francisco Daniel.

A lavradora Maria Almeida também está com medo. “A do meu vizinho está bem rachada, e o homem falou que ela está estralando dentro. Eu fico com medo de ela cair para cá”, diz.

As 240 unidades custaram mais de R$ 5 milhões – dinheiro dos governos federal, estadual e do município.

O Ministério da Integração Nacional, que liberou a verba para a construção das casas, afirmou em nota que é responsabilidade do governo do Maranhão observar os critérios de qualidade técnica, os prazos e os custos da obra, e que vai mandar técnicos ao estado para vistoriar as casas.

Já o governo do estado alega que não foi informado pelo município sobre a inauguração e que, por isso, não fez a vistoria final.

A prefeitura disse que inaugurou as casas às pressas, porque elas já estavam sendo invadidas, e culpou a empreiteira pelos problemas. “A empresa será responsabilizada e poderá ter um prejuízo grande, mas ela tem que repor e refazer tudo dentro do padrão, como diz o plano de trabalho”, afirma o prefeito de Trizidela do Vale, Jânio Freitas de Souza.

O pedreiro Francisco Lima, quando se mudou para o conjunto habitacional, deixou para trás as enchentes da beira do rio, mas agora perdeu o sossego de novo. “Não tem como dormir, porque, quando é de noite, ela começa estralar. De repente, que Deus me defenda, uma casa dessas desaba e cai por cima da gente. Cadê as providências deles?”, diz.

A empreiteira se comprometeu a demolir e reconstruir as casas que apresentaram problemas.

Sentinela recebe mais de 5 milhões da SEDUC

Por Luís Pablo Política
 

A empresa Sentinela, com sede localizada no bairro do Cohatrac, que presta serviços de segurança, vem faturando milhões do Governo do Estado do Maranhão.

O ano mal começou, a Secretaria de Educação do Estado pelo projeto de Apoio e Desenvolvimento da Gestão Escolar, já fez um repasse pra Setinela nos meses de fevereiro e março de R$ 5.127.020,76 (cinco milhões, cento e vinte e sete mil, vinte reais e setenta e seis centavos).

É mole!?

Confira reação de quem deve perder vaga com decisão sobre ficha limpa

Por Luís Pablo Política
 

Do G1

Parte dos parlamentares que terão de devolver o mandato devido à decisão sobre a validade da Lei da Ficha Limpa reagiu com resignação ao resultado da votação desta quarta (23) do Supremo Tribunal Federal (STF).

Para esses parlamentares, decisão judicial não se questiona. No total, quatro senadores e dois deputados devem ter que devolver o mandato após a decisão do STF.

Por seis votos a cinco, o Supremo anulou os efeitos da ficha limpa sobre a eleição do ano passado e decidiu que a lei só passa a ter vigência um ano após a publicação – a partir de junho deste ano, válida, portanto, na eleição municipal de 2012. A Lei da Ficha Limpa barra a candidatura de políticos condenados em decisões colegiadas da Justiça.

Com o julgamento desta quarta, os ministros estão agora autorizados a decidir de forma individual outros recursos semelhantes com base na posição fixada pelo plenário. Tramitam no STF 30 recursos que questionam a Lei da Ficha Limpa.

Confira abaixo o que disseram parlamentares que poderão perder o mandato:

Gilvam Borges, senador (PMDB-AP)

O senador Gilvam Borges (PMDB-AP), um dos atingidos pela decisão do STF, afirmou na manhã desta quinta-feira (24) que já está “conformado” com a despedida do Senado.

“Essa é uma decisão judicial tomada pelo STF. Não tem o que questionar, se cumpre”, afirmou Borges.

Ele dará lugar ao candidato eleito pelo PSB, João Capiberibe, que obteve mais de 128 mil votos e entraria na segunda vaga do estado no Senado.

O candidato do PSB foi enquadrado pela Lei da Ficha Limpa por ter sido condenado em processo de compra de votos em 2002. Com 121 mil votos, Borges assumiu a vaga, por ter conseguido a terceira maior votação no estado.

Marinor Brito, senadora (PSOL-PA)

Marinor Brito (PSOL-PA) foi a quarta colocada na disputa eleitoral para o Senado pelo Pará. Jader Barbalho (PMDB-PA), o segundo mais votado, deve entrar em seu lugar.

No entanto, o recurso que Jader protocolou no Supremo para assumir a vaga já havia sido julgado contra ele no ano passado. Caso ele não entre com novo pedido pela vaga, quem assume é Paulo Rocha (PT-PA), o terceiro colocado na disputa eleitoral e cujo recurso ainda não foi julgado pelo STF.

Para a senadora, a decisão do STF contrariou a vontade popular. “Essa lei é de iniciativa popular. Foi a primeira vez que o povo brasileiro teve uma iniciativa e o Congresso brasileiro consagrou essa iniciativa”, afirmou.

Segundo ela, “o Supremo não pode virar as costas para o povo brasileiro, para a democracia brasileira. Essa é uma posição que eu não considero definida, concluída, porque o povo não vai deixar de lutar”.

Odacir Zonta, deputado (PP-SC)

O deputado Odacir Zonta (PP-SC), que com a decisão do STF perde a vaga para João Pizzolatti, do mesmo estado e partido, também disse que a decisão do Supremo deve ser respeitada, mas ele afirmou que deve recorrer no próprio STF e no Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina.

“A decisão do STF tem que ser acatada. O TRE de Santa Catarina, na apuração, me considerou deputado eleito. Fui diplomado e empossado como eleito. Então, nós vamos entrar com uma representação no STF na questão do ato jurídico perfeito. Mas também no TRE de Santa Catarina, para contestar os cálculos de votos”, disse.

O deputado disse que pedirá ao TRE-SC um novo cálculo de votos. Segundo ele, com a entrada de João Pizzolatti, o partido ganha a vaga e ele permanece no cargo.

“Vou pedir para validar os novos cálculos de votos matematicamente. Com a entrada do Pizzolatti, o PP ganha a vaga e eu garanto essa vaga com a soma dos votos. Também vou contestar a quem compete a desconstituição do mandado – se é a Câmara ou o Judiciário”, afirmou.

Professora Marcivânia, deputada (PT-AP)

Emocionada com a despedida do parlamento, a deputada Professora Marcivânia (PT-AP), afirmou nesta quinta (24) que é amiga da candidata do PSB, Janete Capiberibe, que deverá assumir a sua vaga na Câmara, e diz apenas aguardar a notificação da Justiça para deixar Brasília.

Chorando, a deputada lembrou a campanha realizada no Amapá, os apoiadores, “o povo que acreditou” nas propostas dela, e disse que voltará a lecionar:

“Sou servidora pública, professora, milito na educação há 18 anos e vou voltar para a minha vida normal no estado. Não estou planejando nada para frente. Não estou pensando no meu futuro político. Estou pensando em dar uma descansada, uma avaliada.”

A petista avalia que aprendeu muito durante os dois meses de mandato. “É o meu primeiro mandato, acho que vim muito romântica para cá, e a gente acaba perdendo um pouco disso aqui. A gente vê que as coisas não são como a gente planejava. O PT, meu partido, dividido na questão da ficha limpa, o que me decepcionou, porque é um partido que sempre defendi por lutar pela moral e pela ética. Agora, quanto à decisão da Justiça, não tem o que discutir”, analisa a petista.

Wilson Santiago, senador (PMDB-PB)

Terceiro mais votado na eleição para senador na Paraíba, Wilson Santiago pode perder a vaga com o eventual retorno de Cássio Cunha Lima (PSDB), candidato mais votado para o Senado no Estado, que estava barrado pela Lei da Ficha Limpa.

De acordo com a assessoria de Santiago, o senador deverá se pronunciar sobre o resultado do julgamento do Supremo Tribunal Federal somente depois da publicação do acórdão da decisão no “Diário Oficial”.

Tudo cena de César Pires

Por Luís Pablo Política
 

Insatisfeito, o deputado estadual César Pires (DEM) plantou a informação que deixaria a Presidência da Comissão de Educação. Tudo conversa. Não passou de um joguinho de pressão.

César continua a frente da Comissão. Aliás, foi dele a manobra para evitar que a secretária de Educação, Olga Simão, fosse à Assembleia Legislativa participar de uma reunião com a Comissão e os professores, na semana passada.

Enquanto os deputados e professores estavam feito besta a espera de Olga na Assembleia, o parlamentar reunia com outros membros da Comissão e a secretária em uma sala na SEDUC.

Empresa fatura milhões pela SINFRA

Por Luís Pablo Política
 

A Secretaria de Estado de Infraestrutura (Sinfra) repassou R$ 4.814.389,03 (quatro milhões, oitocentos e quatorze mil, trezentos e oitenta e nove reais e três centavos) para o projeto de melhoramento e pavimentação de rodovias.

Para empresa DUCOL ENGENHARIA LTDA a Sinfra pagou R$ 3.005.967,53 (três milhões, cinco mil reais, novecentos e sessenta e sete reais e ciquenta e três centavos) mais da metade do valor do projeto.