Ataque ao presídio de Pedrinhas foi para resgatar assaltantes de banco, diz polícia

Por Luís Pablo Polícia
 

Delegado Thiago Bardal

Delegado Thiago Bardal

O ataque a uma unidade do Complexo Penitenciário de Pedrinhas, que resultou na fuga de 32 detentos, tinha como objetivo o resgate de sete internos ligados a uma quadrilha interestadual de assaltantes de banco, segundo informou a Superintendência Estadual de Investigações Criminais (Seic).

Um grupo armado com fuzis participou da explosão de parte do muro do Centro de Detenção Provisório (CDP) e atirou contra os agentes penitenciários para que os presos de duas celas do Pavilhão Gama pudessem fugir da cadeia.

O delegado Thiago Bardal, superintendente da Seic, afirmou que a fuga era para os sete assaltantes e que os demais detentos aproveitaram a situação. “Cabe ressaltar que temos sete assaltantes de banco, de alta periculosidade e membros de uma facção criminosa, soltos por aí. Pelo inquérito instaurado, esses assaltantes foram os alvos desse resgate. Os demais foi oportunidade”, afirmou.

Os assaltantes de banco resgatados na ação foram identificados como: Renato Costa Sousa, responsável pelo assalto ao Bradesco de São João dos Patos em 2016; Wanderluz Gomes da Silva, sequestrador e assaltante; Paulo de Caldas Santos, assaltante que agia na Região Tocantina e também era foragido do Ceará.

Os criminosos Ronalth Correia Coelho, líder do assalto a banco em Balsas, onde estudante morreu em operação policial; Waldemir Laurinal Flores, o “Martelo”, parceiro de Wanderluz, e que agia na Região de Santa Inês; Fernando Machado Vasconcelos, que atuava na região de Timon / Teresina; e Claudio Kelson de Sousa Rodrigues, o Kaká.

Segundo Bardal, a preocupação da polícia neste momento é com os assaltos as instituições bancárias, pois tiveram gasto considerável após a ação contra o presídio de Pedrinhas. “Tiveram que alugar armamento, recrutar pessoas e tem uma dívida agora. Então eles vão buscar esse dinheiro na especialidade deles, o assalto a banco”, explicou.

Fuga de detentos em Pedrinhas ocorreu após explosão do muro da penitenciária

Fuga de detentos em Pedrinhas ocorreu após explosão do muro da penitenciária

Foragidos e mortos

Trinta e dois detentos fugiram do Complexo Penitenciário de Pedrinhas, na capital, após a explosão de um muro do Centro de Detenção Provisória (CDP).

Na manhã desta segunda-feira (22), três fugitivos foram recapturados e outro foragido foi morto durante confronto com homens da Polícia Militar, em Itapera, Zona Rural da capital.

Seis foram recapturados minutos depois da fuga, enquanto dois morreram na troca de tiros com agentes do Grupo Especial de Operações Penitenciárias (Geop).

De acordo com uma nota do governo, no total, três internos morreram durante a troca de tiros com a polícia, nove foram recapturados e 20 permanecem foragidos após a ação criminosa.

Na manhã desta segunda-feira (22) três fugitivos foram recapturados e outro morto em confronto com a PM

Na manhã desta segunda-feira (22) três fugitivos foram recapturados e outro morto em confronto com a PM

Presídio de Pedrinhas

O Complexo de Pedrinhas está localizado no Km 15 da BR-135, situado na Região Metropolitana de São Luís. Ele é formado pelo Presídio Feminino, Centro de Custódia de Presos de Justiça de Pedrinhas (CCPJ), Casa de Detenção (Cadet), Presídio São Luís I (PSL I), Presídio São Luís II (PSL II), Centro de Triagem e Centro de Detenção Provisória de Pedrinhas (CDP).

O CDP é a única unidade prisional masculina que ainda não dispõe das tecnologias da Portaria Unificada, tais como o escaneamento corporal por BodyScan, por estar separada das demais que compõe o Complexo Penitenciário de São Luís.

Policiais civis e militares seguem em busca dos fugitivos. A Secretaria Estadual de Administração Penitenciária (Seap) informou que já abriu sindicância para apurar possível facilitação na fuga dos internos.

Mais um fugitivo de Pedrinhas é morto e três são recapturados

Por Luís Pablo Polícia
 

Mais três presos que fugiram na noite de ontem (21) da Unidade Prisional de Ressocialização de São Luís 6 (UPSL 6), antigo CDP, foram recapturados pela Polícia Militar. Um quarto elemento, ainda não identificado, morreu durante troca de tiros com a PM.

Os criminosos foram presos no Povoado Itapera, na zona Rural de São Luís. Segundo a Polícia, eles pegaram um táxi-lotação próximo a Praça da Bíblia e nas proximidades do Anjo da Guarda anunciaram o assalto.

Com a prisão de Marcos André Silva, Gleilson dos Anjos Santos e Francisco Walison Moreira da Conceição, sobem para nove o número de detentos de volta ao presídio. Seis foram detidos ainda no domingo. Restam ainda 21 presos foragidos.

A Secretaria Estadual de Administração Penitenciária (Seap) já abriu sindicância para apurar uma possível facilitação na fuga dos detentos.

Moradora vive momento de tensão durante fuga em Pedrinhas

Por Luís Pablo Polícia
 
Aposentada Vicença Alves mostra uniforme deixado por preso no momento da fuga

Aposentada Vicença Alves mostra uniforme deixado por preso no momento da fuga

A fuga ocorrida na noite de domingo (21) no Complexo Penitenciário de Pedrinhas, em São Luís, onde 32 detentos conseguiram escapar após o muro do Centro de Detenção Provisório (CDP) ter sido explodido, entre 20h e 21h, causou momentos de tensão entre os residentes que vivem próximo ao presídio.

Como foi o caso da aposentada Vicença Alves da Silva, de 74 anos, que reside em uma casa situada na rua atrás do Complexo de Pedrinhas.

Ela, que mora sozinha e sofre de uma doença no coração, disse que ficou nervosa, passou mal e chegou a desmaiar quando a sua residência foi atingida pelos disparos dos tiros trocados entre a polícia e os fugitivos.

“Na hora dos tiros eu fiquei nervosa e comecei logo a passar mal. Foi na hora do estrondo e depois eu não vi mais nada”, revelou a aposentada Vicença Alves.

Cômodos da casa aposentada foram perfurados por disparos de arma de fogo

Cômodos da casa aposentada foram perfurados por disparos de arma de fogo

Os cômodos da casa aposentada foram perfurados por disparos de arma de fogo chegando a comprometer até o telhado que ficou completamente destruído com a ação no Complexo de Pedrinhas. Ela afirma que não tem como arcar com os danos causados no local.

“Está quebrada e eu estou sem saber o que eu vou fazer porque eu não tenho condição”, desabafou.

Durante a fuga um dos presos, antes de fugir, pulou o muro da casa de Vicença e entrou no quintal dela, mas não chegou a invadir a área interna da residência, segundo a aposentada.

Parte do telhado foi destruído com a troca de tiros

Parte do telhado foi destruído com a troca de tiros

“Ele ficou bastante tempo aqui, mas graças a Deus ele não fez menção de arrebentar a minha porta da cozinha para poder entrar. Eu estava com medo, mas ele não forçou a minha porta. Daqui mesmo ele escapuliu. Eu não sei quem foi porque eu não vi. Eu só escutava as pancadas no muro e eu pedindo a Deus que ele saísse logo para poder me deixar em paz”, lembrou.

O detento, ainda sem identificação, deixou um calção que ele vestia no quintal da aposentada. A peça de roupa que estava sua de sangue causou pavor na moradora Vicença Alves da Silva. “Quando foi de manhã que eu levantei eu vi o calção ali. Quase que eu caio para trás quando eu vi o sangue”, finalizou.

(As informações são do G1MA)

Lúcio André arrasta multidão em seu aniversário no município de Pinheiro

Por Luís Pablo Política
 
Lúcio André recebendo o carinho da mãe e do irmão Luciano Genésio

Lúcio André recebendo o carinho da mãe e do irmão Luciano Genésio

O pré-candidato a deputado estadual Lúcio André realizou uma grande festa em seu aniversário para população de Pinheiro, cidade administrada pelo seu irmão Luciano Genésio.

Uma multidão compareceu no local, que teve a apresentação de várias bandas locais e a participação do cantor Tony Guerra, da banda Sacodé.

O evento contou com a presença de várias lideranças políticas da Baixada Maranhense. O deputado federal e pré-candidato a senador Waldir Maranhão também esteve na festa.

Em discurso, Lúcio André agradeceu a presença de todos e aproveitou também para destacar as ações do irmão em prol da população.

“Primeiramente gostaria de agradecer a Deus, aos amigos, e as grandes lideranças da baixada e ao o povo que sempre me acolheu e sempre acreditou e confiou em minha família. O presente maior foi a presença de cada um de vocês. Muito obrigado Pinheiro”, disse André.

Veja o discurso de Lúcio André e alguns registros da festa de ontem, dia 20:

Imagens dos detentos mortos durante fuga em Pedrinhas circulam nas redes

Por Luís Pablo Política
 

São várias as imagens que circulam na internet dos detentos que foram mortos durante fuga em massa, na noite de ontem (21), no Complexo Penitenciário de Pedrinhas.

Nas redes sociais (Facebook, Twitter e WhatsApp), mostraram fotos dos detentos estirados na ‘pedra’ de um hospital público. Eles foram alvejados por policiais durante troca de tiros.

Segundo a Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap), dois detentos foram mortos, um no local e o outro no hospital.

Veja abaixo:

Detento morto em Pedrinhas foi um dos envolvidos na chacina em Panaquatira

Por Luís Pablo Polícia
 

Vulgo Piolho

Vulgo Piolho

Um dos detentos alvejado durante a fuga na noite de ontem, dia 21, no Complexo Penitenciário de Pedrinhas, foi responsável pela morte do soldado da Polícia Militar, Max Muller Rodrigues de Carvalho.

Jean Silva Santos, vulgo Piolho, trocou tiros com os agentes penitenciários, ao tentar fugir da Unidade Prisional de Ressocialização de São Luís 6 (UPSL 6), antigo CDP. Ele morreu no local.

Piolho participou da chacina em Panaquatira, onde cinco pessoas morreram e três ficaram feridas. O casso ocorreu em 2015 (relembre aqui).

O soldado Max Muller estava no local, quando Piolho e mais cinco homens armados invadiram a casa de praia. O PM foi reagir ao assalto e morreu.

Em vários grupos de WhatsApp, principalmente de policiais, circula a foto do corpo do detendo estirado na ‘pedra’.

Veja abaixo:

CUIDADO, POPULAÇÃO! 24 detentos que fugiram de Pedrinhas estão nas ruas

Por Luís Pablo Polícia
 
Detentos que fugiram  por buraco no muro de Pedrinhas estão nas ruas

Detentos que fugiram por buraco no muro de Pedrinhas estão nas ruas

A população maranhense deve ficar em alerta após a fuga em massa que ocorreu na noite de ontem, dia 21, no Complexo Penitenciário de Pedrinhas.

Dos 30 detentos que fugiram da Unidade Prisional de Ressocialização de São Luís 6 (UPSL 6), antigo CDP, 24 permanecem foragidos soltos pelas ruas de São Luís.

A polícia conseguiu recapturar apenas seis internos, sendo que dois morreram (um no local e outro no hospital) após troca de tiros com os agentes penitenciários.

Em nota, a Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap) informou que “a fuga se deu depois que parte do muro da unidade prisional foi explodido pelo lado de fora, por pessoas ainda não identificadas, e detentos de duas celas do Pavilhão Gama, que serraram as grades e conseguiram passar pelo buraco causado pela explosão.”

Disse ainda que “Policiais civis e militares também foram acionados, e seguem no encalço dos evadidos.”

PÂNICO EM PEDRINHAS! Bandidos explodem muro do CDP com dinamite

Por Luís Pablo Polícia
 
Buraco no muro do CDP e bandidos que foram capturados pela polícia

Buraco no muro do CDP e bandidos que foram capturados pela polícia

Mais uma ação criminosa com intuito de derrubar o muro do Complexo Penitenciário de Pedrinhas foi registrado na noite de hoje, dia 21. Desta vez criminosos usaram dinamite e abriram um buraco no Centro de Detenção Provisória (CDP).

A ação foi para resgatar os detentos. Vários bandidos tentaram fugir. Alguns foram capturados pela polícia. Ainda não há informação de quantos conseguiram escapar.

É grande o pânico no local. Veja abaixo:

MP pede afastamento do prefeito de São João Batista

Por Luís Pablo Política
 

Prefeito João Cândido Dominici.

O Ministério Público do Maranhão ajuizou, na segunda-feira, 15, nove ações civis públicas por ato de improbidade administrativa, com pedido de afastamento de agentes públicos do Município de São João Batista, incluindo o prefeito João Cândido Dominici. Eles estão sendo acionados por irregularidades em processos licitatórios.

Também foram pedidos os afastamentos dos secretários José Augusto Costa Prazeres (Transportes), Mauro Jorge Saraiva Pereira (Saúde) e Eduardo Dominici (ex-secretário de Administração), dos membros da Comissão Permanente de Licitação Sebastião Ricardo França Ferreira, Carlos Alberto Fonseca Bastos e Luciane Almeida Pinheiro e do procurador do município, Afonso Celson Pinheiro Filho.

As ações foram assinadas conjuntamente pelos promotores de justiça Felipe Rotondo, titular da Promotoria de São João Batista, Francisco de Assis Silva Filho (de Cururupu) e Ariano Tércio Silva de Aguiar (Cedral), respectivamente, coordenador e secretário do Núcleo Regional de Atuação Especializada da Probidade Administrativa e Combate à Corrupção (Naepac) da Região Pré-Amazônica e Baixada Maranhense.

Segundo o promotor Felipe Rotondo, a investigação se iniciou com a instauração do procedimento administrativo nº 02/2017, que teve como objetivo o acompanhamento continuado das licitações no município de São João Batista. “Foram encontradas irregularidades em todos os nove procedimentos licitatórios analisados. Em todos eles há parecer da Assessoria Técnica da Procuradoria Geral de Justiça atestando as irregularidades”, afirmou o membro do Ministério Público.

Entre as irregularidades encontradas nas licitações, estão a ausência de publicidade e o não fornecimento dos editais aos interessados.

Conforme as ações civis, os pedidos de afastamento dos agentes públicos dos cargos ocorreram em razão da omissão injustificada na apresentação de todos os procedimentos licitatórios requisitados pelo Ministério Público, o que prejudica as investigações e autoriza o pedido de afastamento nos termos da Lei de Improbidade Administrativa.

PENALIDADES

Entre as penalidades que os agentes públicos envolvidos poderão ser enquadrados, estão o ressarcimento integral do dano; perda dos bens ou valores acrescidos ilicitamente ao patrimônio; perda da função pública; suspensão dos direitos políticos de cinco a oito anos; pagamento de multa civil de até duas vezes o valor do dano e proibição de contratar com o Poder Público ou receber benefícios ou incentivos fiscais ou creditícios, direta ou indiretamente, ainda que por intermédio de pessoa jurídica da qual seja sócio majoritário, pelo prazo de cinco anos.

Waldir Maranhão com seu grupo político emplaca novo presidente UMES

Por Luís Pablo Política
 

Álvaro Pires e Marcelo Matos

Álvaro Pires e Marcelo Matos

O deputado federal Waldir Maranhão conseguiu emplacar, na manhã deste sábado (19), o novo presidente da UMES (União Municipal dos Estudantes Secundaristas de São Luís).

O estudante Marcelo Matos passa a comandar a maior união estudantil do Estsdo do Maranhão.

Além de Waldir, Matos também recebeu o apoio do ex-candidato a vereador Álvaro Pires, que participou de toda articulação.

O novo presidente da UMES é estudante do Centro de Ensino Medio e Profissionalizante do Maranhão (Cemp). Ele terá o desafio de resgatar a UMES, que foi sucateada pelo grupo liderado pelo deputado federal Weverton Rocha.