Leitor denuncia Instituto supostamente ligado a vereadores de São Luís

Por Luís Pablo Política
 

Um leitor do site do Luís Pablo que se identificou como Anderson Sá, por meio de comentário a reportagem “Honorato Fernandes e Beto Castro são os alvos principais da investigação de esquema de emendas na Câmara” fez uma denúncia contra um Instituto supostamente ligado a vereadores da Câmara Municipal de São Luís-MA.

Segundo o leitor, o responsável do Instituto “dizia que tinha apoio de vereadores e que recebeu emendas”. Ele disse ainda que o Instituto funciona de forma irregular e que “oferece cursos profissionalizantes com certificado com selos falsos e validadas falsas.”

É mais um caso para ser apurado pelo Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas), que desmontou no início da semana um esquema de emendas parlamentares na Câmara.

LEIA ABAIXO O RELATO DO LEITOR:

Isso ai já vem de longas datas. Existe um Instituto irregular que oferece cursos profissionalizantes com certificado com selos falsos e validadas falsas. Fiz curso lá e me lasquei.

O professor Darnei que é o responsável e dizia que tinha apoio de vereadores e que recebeu emendas. Oferece curso para o Porto do Itaqui e área da saúde.

Eu e alguns amigos que fizemos cursos dele fomos atrás e até o diploma dele é falsificado. Uns dizem que ele tem esquema fraudulento de INSS.

O Instituto dele também deveria ser investigado junto com os abusos contra alunas adolescentes. Instituto do Trabalhador r Instituto do Maranhão diz ser ele como chefe.

Tudo farinha do mesmo saco.

Prefeito Tema garante mais asfalto para povoados em Tuntum

Por Luís Pablo Política
 

O prefeito da cidade de Tuntum-MA, Cleomar Tema, está em Brasília em busca de benefício para o município. Ele participou de uma audiência com o deputado federal Aluísio Mendes.

O objetivo da audiência foi para tratar de um convênio adquirido pelo parlamentar para a implantação de pavimentação asfáltica na zona rural do município de Tuntum.

O projeto foi entregue ao ministro do desenvolvimento regional, para que seja liberado dentro das previsões administrativas cabíveis do ministério, no período máximo de até os meados do mês de dezembro, para ser dado início da sua execução.

Os povoados e comunidades que serão contempladas com o convênio do deputado federal Aloísio Mendes, são eles:
São Bento de Baixo e São Bento de Cima, Brejo do João, São Joaquim dos Melos, povoado Capin, e Aldêia.

OPERAÇÃO EMPLACAMENTO! Gaeco desmonta esquema envolvendo 17 prefeituras com compra de veículos

Por Luís Pablo Polícia / Política
 

O Ministério Público do Maranhão (MPMA) e a Polícia Civil realizaram na manhã desta quarta-feira, 13, em Santa Inês, a Operação Emplacamento. A 1a Vara Criminal do Termo Judiciário de São Luís determinou o cumprimento de mandados de busca e apreensão em quatro empresas e cinco residências no município.

Coordenaram a operação as unidades do Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas (Gaeco), bem como a Superintendência de Prevenção e Combate à Corrupção (Seccor) e a Superintendência de Polícia Civil da Capital (SPCC). Foram apreendidos computadores, aparelhos celulares e documentos, que serão submetidos à perícia e devidamente analisados.

O Inquérito Policial, instaurado pelo 2º Departamento de Combate à Corrupção (2º Deccor) em trabalho conjunto com o Gaeco, apura possível organização criminosa com atuação na venda de veículos, principalmente ambulâncias, para prefeituras do Estado do Maranhão, mediante fraude e provável desvio de verbas públicas, com a participação de empresários, despachantes e servidores públicos.

INVESTIGAÇÕES

As investigações apontaram que, em 2017, no emplacamento de veículos adquiridos pelas prefeituras, o despachante e sócio da empresa Santa Inês Emplacamentos, Élton Luís da Silva Lima, apresentava duas notas fiscais à Circunscrição Regional de Trânsito (Ciretran) em Santa Inês. Uma primeira nota consignava a venda do veículo para a empresa R L de Farias – RL Empreendimentos, cujo sócio responsável é Roberto Lima de Farias. A segunda nota registrava a revenda desta empresa para as prefeituras.

Apesar da existência de duas operações de compra e venda, Élton Luís da Silva Lima solicitava o registro e o primeiro emplacamento em nome das Prefeituras, o que era autorizado pelo Ciretran de Santa Inês. A operação era registrada no sistema informatizado como se a venda tivesse ocorrido diretamente do fabricante para as Prefeituras.

Em 2018, essa prática foi proibida pelo Departamento Estadual de Trânsito (Detran). Élton Luís da Silva Lima passou, então, a utilizar notas fiscais falsas para continuar obtendo o registro e o emplacamento diretamente em nome das Prefeituras, como se as vendas tivessem sido feitas pelos fabricantes.

Após a realização de diligências junto aos fabricantes, constatou-se que as vendas eram feitas, de fato, para as empresas F V dos Santos (Totalmax), R L Empreendimentos ou para pessoas físicas ligadas a elas. Os veículos eram posteriormente entregues às Prefeituras, com valores superiores aos que efetivamente haviam sido adquiridos.

De acordo com as informações prestadas pela Secretaria de Estado da Fazenda, as operações sugerem forte indício de supressão de crédito, pois a empresa R L Empreendimentos atua como locadora de veículos, gozando de benefícios fiscais, assim como Danielle Brito de Oliveira, Gustavo Henrique da Silva Gomes e Antônio Carlos dos Santos Martins Júnior, que tinham vantagens em razão do Convênio ICMS 51/00.

A empresa F Vieira da Silva também foi investigada e tinha o mesmo modus operandi. Klecyo Henrique de Matos Barrosera contador nesta empresa e na R L Empreedimentos.

Dentre as prefeituras que adquiriram veículos através desse esquema criminoso estão a de Bom Lugar, Pio XII, Anapurus, Buriti, Tasso Fragoso, Santa Luzia, Mirador, Vargem Grande, Afonso Cunha, Esperantinópolis, Cedral, Bequimão, Araioses, Serrano do Maranhão, Cidelândia e Santa Luzia do Paruá.

(Com informações do MPMA)

É MUITA CRUELDADE! Edivaldo não paga aluguel e escola é interditada

Por Luís Pablo Política
 
Edivaldo Holanda Júnior

Edivaldo Holanda Júnior

O prefeito de São Luís, Edivaldo Holanda Júnior (PDT), é cruel quando o assunto é a educação. São inúmeros descasos na área. O mais recente veio a público nesta quinta, dia 7.

O dono de um imóvel localizado no Bairro de Fátima, onde funcionava a Unidade de Ensino Básico São Sebastião, decidiu interditar o prédio por conta da falta de pagamento do aluguel.

Segundo o proprietário Benedito Côelho, a prefeitura está há 4 anos e 11 meses sem realizar o pagamento. O imóvel está alugado desde 2002. “Nós estamos interditando o prédio em razão dessa falta do pagamento dos alugueis”, disse.

O proprietário do imóvel falou que procurou a prefeitura várias vezes, enviou ordens de pagamento e chegou a protocolar ofícios destinados a Secretaria Municipal de Educação (Semed) e Secretaria Municipal da Fazenda (Sefaz), mas nunca recebeu resposta.

Ontem, ao chegarem na escola, pais e alunos tomaram um susto ao serem comunicados da interdição no prédio. Os pais saíram revoltados do local.

É um verdadeiro absurdo o prefeito Edivaldo deixar a situação chegar a esse ponto.

Alô, Ministério Público!

Prédio que abriga a Unidade de Ensino Básico São Sebastião em São Luís está com quatro anos de aluguel atrasado

Prédio que abriga a Unidade de Ensino Básico São Sebastião em São Luís está com quatro anos de aluguel atrasado

Bomba, Bomba e Bomba! Associação no bairro da Macaúba com forte suspeita no esquema de emendas parlamentares

Por Luís Pablo Polícia / Política
 

O site do Luís Pablo tomou conhecimento de que uma associação localizada no bairro da Macaúba, em São Luís-MA, teria sido utilizada no esquema das emendas parlamentares de alguns vereadores da capital maranhense.

Os parlamentares destinaram os recursos públicos para essa associação, que também teria falsificado o Atestado de Existência e Regular Funcionamento.

O Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas) precisa investigar se existe a participação dessa associação no esquema.

AGIOTAGEM! Quem foi o deputado estadual que foi em Brasília pegar dinheiro com um deputado federal?

Por Luís Pablo Política
 

Tem um deputado na Assembleia Legislativa do Maranhão que está passando por uma situação financeira muito complicada.

Desde quando virou político, o parlamentar vem se atolando em dividas. Prova disso é que está devendo vários agiotas na cidade.

Sem credibilidade na praça para conseguir dinheiro, o deputado resolveu procurar um amigo que fazia parte do Poder Legislativo e que agora é deputado federal para emprestar uma grana.

O deputado foi na Câmara Federal para falar com o amigo. Ele já colocou todos os seus bens à venda e, foi justamente com essa garantia de vender tudo que conseguiu o dinheiro emprestado.

De empresário bem sucedido para político em falência, o deputado estadual agora está indo para o fundo do poço. O pior que ainda vai encarar mais uma eleição majoritária, em 2020.

Tem que ter peito!

Deputado Leonardo Sá fica conhecido como “Dr. Calote” em Pinheiro

Por Luís Pablo Política
 
Deputado Dr. Leonardo Sá

Deputado Dr. Leonardo Sá

Mais uma pessoa veio a público chamar o médico e deputado estadual Leonardo Sá de caloteiro (veja que foi o primeiro). Desta vez foi o radialista e apresentador do programa “Pinheiro Reggae Show”, Ivanaldison.

Em seu programa na rádio, o comunicador disse que o parlamentar se comprometeu em dar um patrocínio para uma festa no povoado Coco.

O radialista então fez a festa com a garantia da palavra do deputado. Ocorre que Leonardo não repassou o dinheiro do evento.

Segundo Ivanaldison, foi o prefeito da cidade, Luciano Genésio, que lhe ajudou a pagar a divida da festa. Disse ainda que esse débito foi desde julho, quando ocorreu o evento no dia 8.

“Quero agradecer muito ao prefeito de Pinheiro […] Até hoje todas as vezes que vou atrás de Leonardo Sá, ele só diz que está viajando. Por que ele não me falou a verdade? Que não dava para ele me patrocinar, mas ficou foi mentindo para que eu usasse o nome dele para dizer que ele estava patrocinando a festa”, disse o radialista.

Por conta das promessas não cumpridas, o deputado Leonardo Sá está conhecido na cidade de Pinheiro como “Dr. Calote”, segundo publicou o site Diário da Baixada em sua página.

CLIQUE E OUÇA O RELATO DO RADIALISTA:

Secretário de Estado diz que vai processar desembargadora no MA

Por Luís Pablo Judiciário / Política
 
Secretário Jefferson Portela anuncia que vai processar a desembargadora Nelma Sarney

Secretário Jefferson Portela anuncia que vai processar a desembargadora Nelma Sarney

O secretário de Segurança Pública do Maranhão, delegado Jefferson Portela, anunciou que vai processar a desembargadora do Tribunal de Justiça, Nelma Sarney.

O anúncio foi feito em conversar com o jornalista Marco D’Eça, que publicou no seu site.

O motivo de querer entrar com a ação é em razão do caso de espionagem, em que Portela foi acusado pelos delegados Thiago Bardal e Ney Anderson de ter grampeado autoridades (políticos e magistrados) ilegalmente.

Segundo o secretário, foi a desembargadora que espalhou – sem provas – as acusações de suposta espionagem. Ele disse ainda que solicitou ao comando do TJ-MA o encaminhamento dos números telefônicos de desembargadores que teriam sido grampeados.

O site do Luís Pablo tentou entrar em contato com a desembargado Nelma Sarney para comentar a declaração do secretário Jefferson Portela, mas não obteve êxito. Esta página está em aberto para divulgar o direito de resposta da magistrada.

VÍDEO! Vereador Paulo Victor demonstrou preocupação durante discussão de Beto Castro e Honorato

Por Luís Pablo Política
 
Vereador Paulo Victor bota a mão na boca em demonstração de preocupação durante discussão entre Beto Castro e Honorato Fernandes

Vereador Paulo Victor bota a mão na boca em demonstração de preocupação durante discussão entre Beto Castro e Honorato Fernandes

Um detalhe no registro da discussão entre os vereadores Beto Castro (PROS) e Honorato Fernandes (PT) chamou bastante à atenção.

No vídeo, o vereador Paulo Victor Melo Duarte, o Paulo Victor (PROS), demonstra preocupação durante a troca de acusações entre os parlamentares.

Paulo Victor fez diversos gestos de inquietude, botando a mão na boca, levantando e sentando em demonstração de aflição, se aproximando de Beto Castro para encerrar a discussão e apertando o botão do microfone pedindo para o presidente suspender a sessão.

O site do Luís Pablo apurou que antes de se tornar vereador, Paulo Victor prestava (ou ainda presta) serviço para alguns parlamentares na questão das emendas. Antes de começar a mexer com as emendas, ele foi candidato em 2012 e obteve apenas 404 votos.

Após trabalhar com as emendas, Victor deu um “boom” na campanha de 2016 e teve 4.692 votos, numa votação surpreendente para quem não teve nem 500 votos na eleição passada. Mesmo com essa quantidade de votos, ele não conseguiu se eleger e ficou na primeira suplência da coligação “Juntos para seguir em frente”.

Paulo Victor só assumiu o mandato na Câmara de São Luís-MA, porque o vereador Ivaldo Rodrigues saiu para assumir a Secretaria Municipal de Abastecimento e Pesca (Semapa).

Não só Beto Castro e Honorato Fernandes, mas vários parlamentares estão na mira do Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas) e da Seccor (Superintendência de Prevenção e Combate à Corrupção).

E quem tiver envolvimento no esquema de desvio de emendas parlamentares vai ter o pedido de prisão à Justiça. Podem anotar!

CLIQUE E VEJA OS VÍDEOS:


(vídeo extraído do Blog do Jhon Cutrim)

TRECHOS DA DISCUSSÃO ENTRE BETO CASTRO E HONORATO FERNANDES:

“Em primeiro lugar, eu quero lhe dizer que eu sou homem em qualquer circunstância, aqui e lá fora. Do jeito que tu quiser. Eu sou homem pra ti aqui e lá fora, do jeito que tu quiser”, disse Beto Castro.

“Eu sou um homem educado”, respondeu Honorato.

“Mas é um bandido”, falou Castro.

“Bandido é Vossa Excelência, que tem três identidades”, disse Honorato.

“Puxa as tuas contas. Mostra o teu patrimônio para comparar com o teu salário. Tu recebeu R$ 1 milhão e porrada aí, rapá. Passou perna em todo mundo com essas emendas aí. Tu sabe do que eu tô falando”, respondeu Beto Castro.

“Prove”, falou Honorato.

“Provo pelo teu instituto. Tu sobe naquela tribuna para dizer que é santo. E fale na minha frente, porque homem faz é assim. Olha no olho e fala. Tu é bandido, rapá. Lava dinheiro com emenda e vem com conversa pra cá rapá. Aqui não tem santo, não”, finalizou Beto Castro.

Acusados de serem mandantes e assassinos de prefeito vão a júri popular

Por Luís Pablo Política
 
Prefeito de Davinópolis (MA), Ivanildo Paiva

Prefeito de Davinópolis (MA), Ivanildo Paiva

A Justiça manteve a prisão preventiva de cinco pessoas por conta da morte do então prefeito de Davinópolis (MA), Ivanildo Paiva, em 11 de novembro de 2018. Todos serão submetidos a júri popular em data a ser marcada. A decisão foi do juiz titular da 2ª Vara Criminal da Comarca de Imperatriz, Marcos Antônio Oliveira.

De acordo com a investigação da Polícia Civil, Ivanildo Paiva foi morto por conta de promessas não cumpridas aos mandantes. Durante o inquérito, oito pessoas chegaram a ser presas, das quais cinco tiveram comprovação na participação do homicídio.

Desta forma, o então vice-prefeito José Rubem Firmo, e o empresário Antônio José Messias foram apontados na investigação como mandantes do crime, enquanto os policiais militares Francisco de Assis Bezerra Soares, (‘Tita’); Willame Nascimento da Silva (‘Mata Índio’), e o mecânico José Benilton Bezerra Feitosa Guimarães (‘Boca Rica’) foram apontados como os executores do crime.

Corpo do prefeito Ivanildo Paiva (PRB) foi sepultado no Cemitério Campo da Saudade em Imperatriz (MA)

Corpo do prefeito Ivanildo Paiva (PRB) foi sepultado no Cemitério Campo da Saudade em Imperatriz (MA)

Morte do prefeito

O prefeito de Davinopólis tinha 57 anos e foi encontrado morto na manhã do dia 11 de novembro de 2018, em uma região de matagal. O corpo foi encontrado cerca de 2 km da sede da sua fazenda, na zona rural do município. O carro de Ivanildo foi encontrado na BR-010, ao lado da mata do 50 BIS, em Imperatriz.

Segundo delegado Praxísteles Martins, da Delegacia de Homicídios de Imperatriz, a motivação da morte de Ivanildo Paiva foram promessas não cumpridas a José Rubem, como o pagamento de R$ 300 mil após a reeleição da chapa, além de Ivanildo não ter entregue ao vice o controle político da Secretaria de Educação do município. Esses acordos teriam sido feitos a época da campanha quando ambos buscavam a reeleição.

Após a prisão do vice-prefeito, o presidente da Câmara de Vereadores de Davinópolis, Raimundo Nonato Martins (PRB), assumiu a prefeitura da cidade.

O corpo de Ivanildo Paiva foi sepultado na manhã do dia 13 de novembro, no Cemitério Campo da Saudade, em Imperatriz, a 626 km de São Luís.

(Com informações do G1MA)