Família de Jackson Lago dispensa nota de pesar dos Sarney

Por Luís Pablo Política
 

A guerra das oligarquias no Maranhão parece não ter terminado com a morte do ex-governador Jackson Lago . A família de Lago, ainda muito abatida com o acontecido na segunda-feira, afirmou durante o velório do político na sede do PDT, em São Luís, capital maranhense, dispensar a nota de pesar enviada pelo presidente do Senado, José Sarney , inimigo declarado de Jackson.

O ex-chefe da Casa Civil do Maranhão e ex-deputado estadual do PSDB, Aderson Lago, primo do ex-governador, não economizou nas críticas à nota enviada pelos Sarney e não fez questão de esconder o clima de hostilidade e rivalidade que reina entre as famílias.

– A máfia que mata é a mesma que manda flores, faz elogios e vai ao enterro – disse.

Ainda de acordo com a família de Jackson Lago, o político nunca se recuperou do processo de cassação que sofreu enquanto estava no poder, em 2009.

– Desde então ele mostrou-se abatido e sua saúde nunca mais foi a mesma – disse Antônio Carlos Lago, irmão do ex-governador.

O corpo de Jackson Lago chegou no final da tarde desta terça-feira à sede do PDT. Durante todo o cortejo, do aeroporto ao local do velório, a população, emocionada, prestou homenagens ao ex-governador, agitando bandeiras do PDT e do estado do Maranhão, numa demonstração de carinho.

O trânsito próximo à sede do partido foi interrompido pela PM, causando um enorme engarrafamento nas proximidades. O enterro está marcado para as 10h desta quarta-feira, no cemitério dos Vinhais.

Descanse em paz Jackson Lago…

Por Luís Pablo Política
 

Por volta das 18h00, o corpo do ex-governador Jackson Lago chegou a sede do PDT, no Centro de São Luís, onde está sendo velado.

Na sede do PDT estão milhares de pessoas que acompanharam o cortejo, entre elas autoridades, como: o presidente da Assembleia Legislativa, Arnaldo Melo, o prefeito de São Luis, João Castelo, acompanhado da primeira dama, Gardênia Castelo, e os demais parlamentares, Rubens Pereira Júnior, Bira do Pindaré, Neto Evangelista, Valeria Macêdo, Rogério Cafeteira, André Fufuca, Alexandre Almeida, Fabio Braga, Magno Bacelar, Marcos Caldas, Vianey Bringel e Gardeninha Castelo, entre os demais vereadores: Ivaldo Rodrigues e Severino Sales, acompanhados de autoridades partidárias: Weverton Rocha, Edson Vidigal, Roberto Rocha, Clodomir Paz, Graça Paz, e Julião Amin.

O corpo está sendo velado na área aberta da sede do partido. Uma tenda foi improvisada no local, caso de chuva. Os familiares ficaram cerca de 20 minutos, para depois liberarem a entrada das autoridas, imprensa e populares presentes no local.

Morre a mãe do deputado Léo Cunha

Por Luís Pablo Maranhão
 

Doença maldita – Depois da morte do ex-vice presidente José Alencar e do ex-governador do Maranhão Jackosn Lago, o câncer fez mais uma vitima.

Desta vez, foi a mãe do deputado estadual Léo Cunha (PSC). Ela estava internava no hospital São Rafael, localizado na cidade de Imperatriz e faleceu nesta manhã, por volta das 10h.

Vice-prefeito de Olinda Nova e seu irmão tem prisão preventiva decretada

Por Luís Pablo Polícia
 

A Justiça do Maranhão decretou mandados de prisões preventivas contra o vice-prefeito de Olinda Nova, Antônio Martins Gomes, o Antônio Gentil, e o irmão dele, o empresário e fazendeiro, Manoel Martins de Jesus Gomes, o Manoel Gentil, que até o momento não foram localizados pela Polícia.

Também estão com os mandados de prisões preventivas Josuel Sodré Saboia, o ex-policial Sabóia, e Irismar Pereira, o Uroca. Eles são acusados do assassinato do lavrador quilombola Flaviano Neto, 45 anos, morador da comunidade quilombola do Charco, em São Vicente de Férrer. O crime aconteceu no dia 30 de outubro do ano passado. Flaviano foi morto a tiros, em uma estrada, voltando de um bar, onde chegou a conversar com os envolvidos no crime.

Já estão presos, em São Luís, o executor do crime, Irismar Pereira, e o intermediário, o ex-policial militar Josuel Sodré Saboia, detido no início de fevereiro deste ano, no bairro do Anjo da Guarda, na capital maranhense.

Habeas Corpus – O empresário Manoel Gentil Gomes, suspeito de ser o mandante da execução do lavrador quilombola Flaviano Neto, conseguiu, no dia 23 de fevereiro deste ano, alvará de soltura no Tribunal de Justiça do Maranhão. A decisão foi do desembargador Antônio Bayma Araújo.

De acordo com o desembargador, a prisão temporária do suspeito não era necessária, já que a apuração dos fatos já tinham sido feitas. Segundo ele, a prisão temporária de um suspeito só se justifica quando ele pode alterar provas, fugir, enquanto a investigação está ocorrendo.

Manoel Gomes foi preso em São João Batista, e permaneceu na cela por 24 horas.

Motivação do Crime – Segundo as investigações da polícia, a motivação do crime teria ligação a questão de posse de terras. As 70 famílias da comunidade remanescente de quilombo lutam na Justiça pela posse de 1,4 mil hectare de terra, que o empresário e a família dizem que pertence a eles. Fonte: Portal Imirante.

Palácio dos Leões pede cabeça de repórter da Globo

Por Luís Pablo Política
 

O repórter de rede da TV Globo, Honório Jacometto, que há alguns meses vinha denunciando através de reportagens especiais o caos instalado no Maranhão, não é mais o enviado especial da emissora dos Marinhos no Estado.

De acordo com informações, sua cabeça teria sido pedida pelo alto escalão do Palácio dos Leões à Rede Globo. O motivo seria a série de matérias que ele vinha produzindo sobre os descasos que vem acontecendo no Estado.

A gota d’água, segundo relatou uma fonte do blog, foram as recentes reportagens sobre a interdição do acesso principal ao terminal de passageiros do aeroporto internacional Marechal Hugo Cunha Machado, em São Luís. Essa é recompensa para aqueles que tentam mostrar a verdade.

(Com informações do blog de John Cutrim)